O que é a neuralgia do trigêmeo e como tratar?

Neuralgia-do-Trigemeo

Marcada pela forte dor, a neuralgia do trigêmeo é uma dor paroxística, ou seja, que vem de repente, incapacitando de realizar outras atividades durante a crise, que pode durar minutos.

A neuralgia do trigêmeo é uma doença comum no Brasil quando o assunto são patologias neurológicas, entende-se que a incidência anual da doença no país é de 4,5 por 100 mil pessoas.

Por isso, se você quer entender mais sobre o que é neuralgia do trigêmeo, seus sintomas e tratamentos, é só continuar a leitura. Confira!

O que é a neuralgia do trigêmeo?

A neuralgia do trigêmeo, também chamada de nevralgia, é um quadro doloroso crônico, que afeta a região de inervação sensiti

va do nervo trigêmeo, ou seja, a face. O nervo trigêmeo possui função sensitiva da cabeça e motora na mastigação.

Nos pacientes com neuralgia do trigêmeo, estímulos sensitivos mínimos, como escovar os dentes ou barbear-se, podem provocar crises intensas de dor no rosto. Essas crises são caracterizadas por fortes dores, que podem simular choques, e que quando intensa, duram até minutos.

Além disso, elas podem surgir diversas vezes no dia. Essa frequência irá depender do caso e nível da neuralgia do trigêmeo.

Como e onde dói o nervo trigêmeo inflamado?

Como mencionamos, a dor é característica de um choque no local. Essa dor é incapacitante, forçando a parada de demais atividades. Ela pode durar mais de três meses.

A dor do nervo trigêmeo é, geralmente, na região maxilar ou mandibular do rosto, correspondendo à 2ª e 3º divisão do nervo trigêmeo. Ou seja, pode ser o lado direito ou esquerdo da face, o primeiro é mais frequente. 

Veja na imagem abaixo a localização do nervo trigêmeo inflamado:

Desenho esquelético indicando onde fica a dor da neuralgia do trigêmeo

Fonte: IFSC/USP

Quais os três ramos do nervo trigêmeo

Os três ramos do nervo trigêmeo, são:

  • Nervo  maxilar;
  • Nervo oftálmico;
  • Nervo mandibular.

O que causa neuralgia do Trigêmeo?

O que causa a neuralgia do trigêmeo é o Conflito Neurovascular. Esse processo ocorre quando um vaso, mais comumente uma artéria, comprime o nervo trigêmeo, gerando instabilidade elétrica no nervo em questão, desta forma, é liberada uma carga elétrica ocasionando o que chamamos de “choques” e dor no rosto.

Além da existência do Conflito Neurovascular, é necessário que o paciente seja “predisposto” a sofrer com a doença. Portanto, se há em sua genética casos em que, ao submetido à compressão, o nervo trigêmeo dispare estímulos sensitivos de forma errática, é mais comum que sofra da doença

Para que o quadro corresponda à neuralgia do trigêmeo, o paciente terá que apresentar 2 eventos: 

  • A compressão neurovascular e;
  • A predisposição genética. 

A existência do segundo implica mais para a causa do primeiro, por isso, existem muitos pacientes que possuem compressão neurovascular mas não a neuralgia do trigêmeo.

Num geral, a neuralgia do trigêmeo não tem como fatores complementares ações humanas, como tomar água gelada ou friagem. Porém, há maior incidência em idosos, devido ao processo degenerativo, hipertensos e pessoas do sexo feminino.

Curiosidade: a neuralgia do trigêmeo é uma doença em que a dor é apenas uma percepção do cérebro. No rosto não há nada que implique. Vemos, também, esse processo de dor criado pelo cérebro na cefaléia, ou, mais famosa dor de cabeça.

Quais os sintomas da neuralgia do trigêmeo?

O principal dos sintomas da neuralgia do trigêmeo é a dor no rosto, do tipo choque, de caráter paroxístico (vem de repente, de forma súbita), que acomete a parte superior e/ou média e/ou inferior da metade do rosto

Geralmente existem gatilhos que precipitam a dor, sendo os mais comuns:

  • Beber líquidos gelados ou quentes;
  • Receber vento no rosto;
  • Escovar os dentes;
  • Fazer a barba,

A imagem típica de um paciente com neuralgia trigeminal é aquele paciente que segura um pano no rosto e evita ao máximo o vento frio. A neuralgia do trigêmeo pode ser facilmente confundida com problemas dentários devido a similaridade dos sintomas.

Mas, como sei que é neuralgia do trigêmeo? 

A neuralgia do trigêmeo, ainda que similar a dor de um canal dentário, por exemplo, possui suas especificidades. Portanto, será possível identificar que é uma neuralgia do trigêmeo quando:

  • É sentida a dor de choque
  • É uma dor forte a ponto de ser incapacitante
  • Acomete o território de um nervo trigêmeo, geralmente o lado direito do rosto
  • É uma dor que vem e passa rápido, não se perdura, ainda que tenha alta frequência durante o dia.

Para ter a total certeza do quadro, é essencial realizar uma consulta, tanto com o neurologista, como com um dentista.

Clique aqui e marque agora sua consulta com neurologista.

Além disso, doenças como tumores no ângulo ponto cerebelar, cistos epidermóides, doenças do seio cavernoso, esclerose múltipla possuem sintomas muito parecidos a neuralgia do trigêmeo. 

Como é feito o diagnóstico da Neuralgia do Trigêmeo?

O diagnóstico é exclusivamente clínico, ou seja, não é necessário nenhum exame complementar para a realização do diagnóstico da neuralgia do trigêmeo, apenas, o histórico de saúde. 

Porém, após o diagnóstico, muitas vezes é aconselhado a realização de algum exame de neuroimagem (notadamente a ressonância magnética de crânio) para estabelecer a existência de um conflito neurovascular e também para afastar as chamadas causas secundárias da neuralgia do trigêmeo.

Doutor, tenho um quadro que parece ser neuralgia do trigêmeo, mas a ressonância do crânio está normal. E agora?

Esta é a regra! Ou seja, a ressonância de crânio excluiu as principais causas secundárias de neuralgia do trigêmeo, como tumores, cistos e esclerose múltipla. 

Uma ressonância de crânio feita com o protocolo normal (no pedido médico apenas como ressonância de crânio) geralmente não consegue mostrar o conflito neurovascular. Para observá-lo, é necessário realizar uma ressonância de crânio específica para neuralgia do trigêmeo (as sequências volumétricas em T2 da fossa posterior – CISS 3D ou FIESTA).

Na figura abaixo, foi realizada uma fusão de imagens de sequências de ressonância de crânio, para melhorar a visualização do conflito neurovascular, observando o desenvolvimento da neuralgia do trigêmeo. Técnicas avançadas são necessárias para este diagnóstico. Veja:

Capturar

Quais os tratamentos para a neuralgia do trigêmeo?

O tratamento inicial para a neuralgia do trigêmeo é o medicamentoso. Existe uma medicação chamada Carbamazepina, que é muito efetiva no controle da dor nos pacientes com neuralgia do trigêmeo. 

Este remédio deve ser prescrito por médico habilitado e apresenta uma série de contraindicações e eventos adversos possíveis, por isto, não se automedique. 

Agende sua consulta!

De uma forma geral, metade dos pacientes com neuralgia do trigêmeo ficam bem com esta medicação e conseguem ter uma melhor qualidade de vida.

Além disso, é possível, durante os tratamentos, colocar toalhas mergulhadas em água quente e sal sobre a parte de trás do pescoço, isso poderá diminuir a inflamação do nervo do trigêmeo de forma momentânea.

E quando o tratamento medicamentoso não ameniza a neuralgia do trigêmeo?

Existem diversas opções de procedimentos para o controle da dor nos pacientes que possuem neuralgia trigeminal. Estes procedimentos são bastante efetivos no controle da dor. 

Os dividimos em 2 grandes grupos de cirurgia da neuralgia do trigêmeo. São eles:

  • Procedimentos percutâneos para tratamento da neuralgia do trigêmeo

Neste grupo incluímos a compressão do gânglio trigeminal por balão, a lesão da raiz trigeminal por radiofrequência (rizotomia) e outras técnicas de ablação (lesão do nervo trigeminal). 

A vantagem destas técnicas é a menos invasiva, pois não requer corte, apenas uma punção, porém, a desvantagem é que a real causa da neuralgia do trigêmeo, ou seja, o conflito neurovascular na maioria dos casos, não é tratada. 

E além disso, muitas vezes ocorre uma área de perda de sensibilidade na face após o procedimento. Muitas vezes, após algum período de tempo, a neuralgia do trigêmeo retorna.

Estes são os riscos da neuralgia do trigêmeo neste procedimento.

  • Procedimentos cirúrgicos (Descompressão neurovascular de nervos cranianos)

A vantagem é uma efetividade bem maior em relação aos procedimentos percutâneos. Cerca de 90% dos pacientes ficam sem dor por mais de 10 anos após esta cirurgia, porém os riscos do procedimento em si são maiores.

Na figura abaixo temos um exemplo de como é a cirurgia de neuralgia do trigêmeo, neste caso, realizando a compressão do gânglio trigeminal por balão. Neste procedimento, uma cânula é inserida através da face e por dentro dela, passa-se um balão que é insuflado no cavum de Meckel. 

Observe o formato do balão, em “pêra”, que denota um posicionamento ideal.

1

Abaixo, veja uma foto de uma descompressão neurovascular (cirurgia com microscópio), demonstrando o nervo trigêmeo do lado direito comprimido. Note que ele faz uma espécie de barriga pela artéria cerebral superior.

Nervo e artéria

Se você perguntar como descomprimir o nervo trigêmeo, a resposta é o procedimento de compressão do gânglio trigeminal por balão mencionado acima.

Qual opção de tratamento da neuralgia do trigêmeo escolher ?

A neuralgia do trigêmeo é uma doença grave, debilitante, que atrapalha e muito a vida dos pacientes. 

Se você ou algum conhecido seu apresentar esta condições, procure um especialista nisto, ou seja, alguém habilitado a realizar todos os possíveis tratamentos (medicação, procedimentos percutâneos e cirurgias de neuralgia de trigêmeo) que forem necessários. 

O tratamento deve ser adaptado ao paciente, sempre.

Agende uma consulta pelo Whatsapp

Consultório Vila Clementino

Consultório Tatuapé

Whatsapp Plataforma Doctoralia